Pensamentos de um ilhéu escritos de 2003 a 2010.
Sábado, 31 de Janeiro de 2004
Histórico II
Desde Julho de 2003 o Blog "Fayal - Vivencias numa ilha" apresentou post sobre os mais variados assuntos do dia dia, quer politicos, sociais ou meramente relativos a épocas do calendário.

Transcrevem-se como "histórico II" o período de 01/11/2003 a 12/02/2004 e "histórico I" o período de 22/07/2003 a 29/10/2003 relativo à sua presença activa na comunidade açoriana e portuguesa, atravez do seu blog "Fayal- vivencias numa ilha" no Blogger.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

2004-02-12
Compromisso Portugal

Ao reunirem-se várias centenas de economistas e gestores portugueses das novas gerações, sempre pensei que surgissem algumas ideias inovadoras para a reforma da sociedade portuguesa, mas o que a comunicação social na sua generalidade nos transmitiu foi um conjunto de soluções corporativas, sem qualquer rasgo de genialidade ou de verdadeira inovação.

Será que deveria ter acreditado mais neste encontro? Penso que não, pois não existem receitas milagrosas e o pensamento económico/cientifico tanto é do conhecimento das novas gerações como em experiência e prática até é mais consolidado nas velhas.

O que falta para um compromisso com Portugal são lideres capazes de transmitirem confiança nas políticas a serem implementadas, segurança no futuro que todos desejamos prospero e estabilidade nas relações sociais, estes três princípios não estão ultrapassados por modas neo-conservadoras, eles são perenes por serem as pedras base da sociedade humana.

// posted by Carlos @ 8:54 PM


2004-02-09
Pacto de regime

Ficamos a saber que afinal não haverá pacto de regime para o pacto de estabilidade, o que parece incomodou a maioria e mais alguém.

Interrogo-me da necessidade de um pacto seja para o que for em democracia e principalmente onde existe um governo com maioria absoluta?

A democracia política apenas funciona com um governo em contra ponto com uma oposição, o desejarmos calar a oposição em determinadas políticas estruturantes estamos a ferir o cerne do sistema.

Dirão que a situação do pais é muito grave então crie-se um governo de salvação nacional com a presença de todos os partidos, onde o contraditório democrático tem um interregno até à normalização da situação.

Mas o que o nosso país necessita é de um governo que tome medidas acertadas e coerentes e seja capaz de solucionar as necessidades da população e uma oposição que apresentando os seus pontos de vista, transmita a esperança noutras políticas.

Em democracia há sempre soluções, mesmo sem pactos.

// posted by Carlos @ 10:09 PM


2004-02-06
A RTP Açores

Foi anunciado esta semana que o Governo da Republica estava preparado para fazer a extensão gratuita aos Açores e Madeira dos canais generalistas de difusão nacional via satélite, com uma participação financeira do Governos Regionais. Deverá acrescentar-se que a TV Cabo açoriana faz a sua distribuição em cabo nos principais centros urbanos do arquipélago há vários anos e há três via satélite para toda a Região.

Esta pretensão açoriana e madeirense já é velha e até há poucos meses aguardava a instalação de Televisão Digital Terrestre, como esta ficou adiada até nova data, com o serviço satélite da TV Cabo passou a ser possível disponibilizar-se gratuitamente o mesmo serviço digital e com cobertura completa a ambas as Regiões.

O Presidente do Governo Regional informou estar disposto a financiar a percentagem que foi anunciada desde que a RTP Açores faça parte do pacote a ser transmitido, estou certo que o Governo Regional da Madeira dirá o mesmo.

Como açoriano estou solidário com esta posição, como estarão todos os residentes, a RTPA é um dos elos mais importantes da unidade açoriana e o principal meio de comunicação social da Região, a não inclusão no pacote digital fará com que os açorianos terão de ter duas antenas, uma pequena parabólica para os canais nacionais digitais e uma de VHS para a RTPA com qualidade analógica., o que ditará a curto prazo a morte desta.

Por mais que a direita açoriana queira esconder, a verdade é que a autonomia política da Região caminha para uma situação de fragilidade, não por acção deste Governo Regional, que a tem defendido com frontalidade, mas pelos actos políticos vindos da direita portuguesa.

// posted by Carlos @ 10:28 PM


2004-02-03
Fayal Sport Club

O Fayal Sport Club é o mais velho clube de futebol dos Açores com 95 anos feitos a 02 de Fevereiro.

A sua história é rica em títulos e o serviço que prestou aos jovens de sucessivas gerações que por lá passaram é digno de referencia e reconhecimento publico. Mas para tal ser possível foi necessário um conjunto de dirigentes que com muito sacrifício e dedicação ao clube e à terra deram continuidade a essa iniciativa pioneira e que deverão ser lembrados com gratidão.

No dia do seu aniversário foi inaugurado o piso sintético no seu Estádio da Alagoa, uma iniciativa da Câmara Municipal da Horta e da Direcção Regional do Desporto. Melhor prenda não poderia ter sido dada a esta instituição que só nas escolas de formação conta que várias dezenas de atletas.

Agora com instalações condignas faço votos para o regresso rápido do Fayal à Serie Açores de futebol.

// posted by Carlos @ 11:06 PM


2004-01-31
No fim de Janeiro

Ao chegar aqui, vejo um nervosismo geral e exagerado nas hostes políticas em torna das eleições regionais de Outubro, ainda falta muito tempo alem de que teremos eleições europeias em Junho.

Pensa a oposição que ao criar este clima terá vantagens sobre o Governo, pensa o Governo que assim desgasta a oposição.

Há só uma verdade e esta é dos eleitores se cansarem e a abstenção crescer, pois ninguém aguenta uma campanha eleitoral com 10 meses.

Haja bom Senso e respeito pelos eleitores e pelos açorianos em geral.

// posted by Carlos @ 1:35 PM


2004-01-28
Coligações

Com a criação da coligação PSD/PP entramos num novo período da nossa vivência eleitoral na Região Autónoma dos Açores. Até aqui sempre os partidos concorreram isoladamente às eleições regionais. A criação agora de um bloco de direita, irá, em tempo, aglutinar as forças de esquerda PS/CDU.

Assim seria já nas próximas eleições regionais, se na política partidária houvesse lógica.

Mas como a esquerda continua com os seus problemas filosóficos de verdades absolutas e certezas, onde o CDU ainda espera a vitória sozinha ou o surgimento de um movimento revolucionário, onde o PS ainda acredita numa nova maioria absoluta, o mais certo será, nas próximas eleições regionais, com a divisão dos votos pelos actuais círculos eleitorais, o enfraquecimento do PS pelo desgaste no Governo e o afastamento da CDU da Assembleia Regional.

Então o que falta para a criação dum bloco à esquerda em contra ponto ao bloco de direita ?

O reconhecimento de que cada partido tem a sua história na Região e com ela o seu peso eleitoral e que uma coligação deverá retractar, a humildade de reconhecer que ninguém é dono da esquerda e da solução política ideal, então ceda-se alguns princípios em nome de objectivos concretos e crie-se um clima de convivência política no respeito pelas diferenças e por objectivos acordados.

Será pedir muito para o equilíbrio político na Região?.

// posted by Carlos @ 4:41 PM


2004-01-26
Fehér

Era o que nos faltava, a transmissão em directo da morte de um jovem atleta, nada foi programado, mas aconteceu.

Logo surgiu a especulação da demora, na falta de assistência e na procura de um bode expiatório para o acontecido, quando o importante é o facto em si.

O País como eu assistiu comovido, nunca estamos preparados para vermos a morte directamente durante uma transmissão televisiva, mas ela acontece igualmente e diariamente a muitos outros jovens e crianças nos palcos da guerra, ou na agora mais em moda luta contra o terrorismo, hoje impressionamo-nos ao ver Fehér, jovem atleta do Benfica, cair, tenhamos o mesmo sentimento pelos outros.

Honremos a memória deste um jovem atleta que nos deu momentos de alegria com o seu esforço, dedicação e trabalho.

// posted by Carlos @ 12:30 AM


2004-01-23
Caminho único

O dia da greve nacional da administração publica, vem demonstrar a grande insatisfação pela política que este governo está a implementar no sector.

O problema não é a reforma, porque ela é por todos reconhecida como necessária, mas sim o modo como se pretende implementar e acima de tudo a tentativa de se criar perante a população em geral a ideia de que todo os males existentes nos serviços públicos não são nem de gestão nem da orientação política de quem governa, mas sim os seus funcionários e servidores.

Hoje já ouvi vários comentadores dizerem que não há outro caminho, por muito que me custe tenho de afirmar aqui que não aceito tamanha certeza, porque ela é redutora da inteligência e da capacidade da sociedade democrática gerar soluções, só uma sociedade totalitária tem um caminho único.

Hoje estou solidário com os trabalhadores da administração publica e mais não escrevo.

// posted by Carlos @ 1:33 PM


2004-01-19
A administração publica

Aproxima-se o dia em que a administração publica vai entrar em greve, tendo como motivo toda a restruturação negativa que este sector está a sofrer com o actual Governo de Durão Barroso.

Qualquer estado só o é quando a sua administração for competente, motivada e imbuída de um espirito de serviço aos cidadãos e isto só se consegue com um forte espirito de corpo, organizado e disciplinado.

A actual reorganização até teoricamente e nalguns casos é não só compreensiva como necessária, mas a sua reengenharia levará a uma tão grande alteração nos serviços, por se querer fazer muito em pouco tempo, que levará alguns anos até se conseguir um normal funcionamento de toda a maquina estatal.

É também negativo o completo desprezo pelas justas perspectivas profissionais e aspirações dos funcionários e como se poderá querer ter o seu apoio quando, por exemplo, o contrato individual de trabalho é mais penalizador na função publica do que o transcrito no código de trabalho para qualquer trabalhador na privada.

E já não falo no congelamento pelo segundo ano, dos vencimentos e reformas acima dos 1000 Euros, com a justificação do Estado não ter capacidade financeira para o fazer por motivo da crise existente, e quando terá !!!

Por tudo isto estou solidário com os trabalhadores do Estado, a reforma é necessária mas não podem ser eles as vitimas da paranóia do défice publico português.

// posted by Carlos @ 11:03 PM


2004-01-15
Mau serviço prestado aos Açores

O Presidente do PSD Açores Dr. Vítor Cruz acaba de prestar um mau serviço aos Açores e à sua autonomia, ao ir a Lisboa a uma reunião partidária solicitar a não aprovação pelo PSD Nacional da revisão da Lei Eleitoral Regional, a ser incluída na revisão constitucional, tendo unicamente como pretexto o seu interesse partidário, que é legitimo quando não colide com o interesse colectivo de toda a Região, que é neste caso a negociação da revisão constitucional que se antevê, pelas propostas entregues, muito favorável às autonomias das Regiões Autónomas.

Os motivos apresentados pelo Dr. Vítor Cruz são todos eles muito frágeis e mesmo demagógicos, a alteração proposta irá beneficiar os pequenos partidos que passarão a ter possibilidades de representação e dará consistência proporcional e democrática aos resultados eleitorais fazendo que o partido com maior numero de votos tenha um maior numero de deputados, tornando igualmente a Assembleia Legislativa Regional com um numero impar de representantes.

Ganhar eleições é o objectivo de qualquer partido político, mas o Dr. Vítor Cruz parece estar apostado não em ganha-las com votos, mas em linguagem futebolística, na secretaria.

Como sou um optimista continuo ainda a ter esperança de não se deixar perder este momento especial para se efectuar uma revisão constitucional que dará maiores poderes legislativos à Região, terminará com a figura do Ministro da Republica e clarificará ainda outros assuntos pendentes desde o inicio da actual Constituição, porque numa negociação nenhum lado deverá partir para ela com posições irredutíveis, acima dos interesses particulares deverão estar sempre os Açores e a sua população e ninguém garantirá novamente uma tão grande convergência positiva em relação às autonomias.

// posted by Carlos @ 11:01 PM


2004-01-12
As nossas auto-estradas marítimas

Os Açores pela sua dispersão geográfica necessitam da existência de ligações marítimas efectuadas por barcos cómodos e seguros que alem de pessoas também efectuem o transporte de viaturas, continuando as ligações aéreas como o modo rápido e eficaz de comunicação entre todas as ilhas.

A necessidade do transporte marítimo foi compreendida e há alguns anos surgiu a Açorline para durante os meses de Verão efectuar essas ligações, até hoje satisfatoriamente.

Por outro lado a Transmaçor empresa para a ligação das ilhas do chamado triângulo São Jorge, Pico e Faial, as mais próximas, optou por barcos rápidos, tendo adquirido o ano passado um segundo que até à data ainda não entrou efectivamente ao serviço, apesar do esforço financeiro para a sua compra e não conhecendo as razões técnicas que levaram àquela aquisição, penso que o actual passageiro marítimo deseja mais, quando viaja entre as ilhas, transportar o seu carro, do que ter como factor determinante o tempo da viagem, alem de que o mar açoriano tem uma ondulação não muito propicia para aquele tipo de embarcações para alem dos meses de Verão.

No próxima época espero que o Açorline viaje com os seus barcos vistoriados a tempo e que o seu período de transporte seja alargado de 01 de Junho a 30 de Setembro, sendo os seus horários tornados públicos em tempo e incluídos no site da empresa, o que não aconteceu em 2003. Também à Transmaçor desejo que o seu novo barco comece a navegar regularmente a partir de 01 de Maio na ligação do triângulo e que a próxima etapa seja um êxito comercial para ambas as empresas porque só assim o nosso desenvolvimento será uma realidade.

// posted by Carlos @ 4:50 PM


2004-01-09
Liberdade de imprensa

Nestes dias aparece um novo perigo para a nossa democracia, a tentativa de cercear-se a liberdade de imprensa.
Alega-se hoje o segredo de justiça e amanhã, estou certo, será outro qualquer motivo.

O mundo ocidental está a viver um momento onde as liberdades fundamentais características da nossa civilização ocidental, estão a ser sacrificadas por motivo da segurança levada quase a paranóia.

A liberdade de imprensa é fundamental à continuidade do estado democrático e á garantia das liberdades constitucionais, pelo o que se deve é fazer cumprir as Leis existentes, isto mesmo disse hoje o Primeiro Ministro numa intervenção lúcida e que pretendeu transmitir o bom senso para a maioria .

O Problema do segredo de justiça é primeiramente um assunto que apenas ainda existe porque continua impune, talvez pelos seus agentes serem da casa, agora querer transformar o mensageiro em único infractor, é uma atitude simplista e perigosa.

// posted by Carlos @ 11:10 PM


2004-01-06
A crise

Nos inícios dos anos apresentam-nos normalmente previsões económicas.
2004, todos sabemos, será ainda de crise, por isso não vou discutir estratégias ou políticas económicas porque a realidade passa por todos nós.

Na região a crise também por cá passa, mais atenuada pela acção das políticas desenvolvidas pelo Governo Regional, onde o desemprega se encontra ainda com taxas residuais, as falências tem sido praticamente inexistentes, a construção civil tem continuado a um ritmo bom, o turismo apesar de ter apresentado um decréscimo ainda se poderá considerar fora de crise e a pecuária continua como sempre com as oscilações resultantes do mercado.

O factor que possibilitou esta almofada à crise económica foi, desde a tomada de posse do actual Governo Regional, o rigor na despesa e o controle no endividamento publico, respeitando-se agora as orientações do actual Ministério das Finanças apesar de penalizadoras para o desenvolvimento da Região.

Mas perante este quadro regional e nacional, os partidos da oposição regional transmitem aos eleitores uma imagem de facilidades, onde tudo mas tudo é possível e de que esse tudo poderia ter sido feito e se o não foi a culpa é das políticas do actual Governo, não há limites para a critica, nem nas suas palavras existe qualquer crise económica por perto.

As promessas já começaram e o Santo Cristo é só em Maio.

// posted by Carlos @ 12:35 AM


2004-01-03
Ano de eleições

Este ano vamos ter em Outubro as eleições para o Parlamento Regional, este facto já está a condicionar a vida política da Região em todos os seus aspectos assim:

O Partido do Governo que tem uma maioria absoluta na Assembleia Legislativa Regional, já se encontra a preparar as suas listas e a estudar a melhor estratégia para o embate, parte numa posição de vantagem que é a de ter o Governo e uma maioria, facto comum nas mesmas circunstancias em qualquer parte.

Os Partidos da oposição já se encontram também em campanha para a reconquista do poder, valendo tudo o que consideram legitimo, partindo de uma posição que não lhes é muito vantajosa, contam com o desgaste natural do poder.

Mas em política não vale tudo, tem de existir uma ética que deverá ser respeitada em nome do povo e da credibilidade da acção política, sem ela caminhamos para um sistema não só desrespeitador dos eleitores como da própria democracia como sistema político.

Até quando as paixões serão mais fortes do que a inteligência e do que a educação cívica dos participantes é o que iremos ver até Outubro.

// posted by Carlos @ 11:04 PM


2004-01-01
Novo ano

Sempre que iniciamos um ano novo, fazemo-lo acompanhar com os desejos sinceros de melhores dias e com eles a solução dos nossos problemas é o inicio de uma nova esperança em não se voltar a repetir os nossos erros e omissões .

2004 nasceu mal, com uma crise económica onde só alguns, para levantar a moral, vêem saída, onde o desemprego aumenta e a cegueira no défice não deixa ver a ansiedade geral, a autoconfiança é muito pequena e a credibilidade em instituições fundamentais é destruída pelas próprias.

No ano em que iremos celebrar os 30 anos da implantação da democracia em Portugal, este encontra-se na sua pior crise de há várias décadas, onde a Casa Pia não é mais que a radiografia dum doente onde a cura é muito difícil por descrédito daquela.

Saibamos tratar as crises existentes com a frontalidade e a seriedade que as populações exigem, e lembremo-nos que em democracia é sempre possível achar-se uma solução.

// posted by Carlos @ 11:33 PM


2003-12-28
Um pequeno balanço do ano

Como é natural no fim de cada ano, também este blog faz um pequeno balanço político do actual ano nos ultimas dias de 2003 assim:

Relativamente ao Faial e ao município da Horta não posso deixar de mencionar positivamente a reabertura depois de totalmente recuperado do Teatro Faialense, casa com mais de cem anos na história cultural nesta comunidade e a inauguração das Piscinas Municipais e negativamente a demora no inicio da recuperação das Estradas Regionais.

A nível da Região Autónoma dos Açores, o Governo Regional desenvolveu um trabalho positivo no capitulo de reposição das prejuízos motivados pelas mais diversas calamidades, e no difícil cumprimento do seu plano de actividades, por motivo do endividamento zero imposto pelo controle do défice do Governo da República.
Negativamente aponto a intromissão do Governo da República na Região em diversas áreas de responsabilidade regional, intromissão nunca antes aceite pelos Governos de Mota Amaral ou de Alberto João Jardim, mas agora solicitada pela oposição regional, contrariando a prática do partido que foi iniciador da autonomia política na Região.

Na Republica não posso deixar de referir negativamente a crise económica em que todos fomos obrigados a nos movimentar com o crescimento do desemprego a valores muito altos, bem como a todas as dificuldades que nos foram chegando pelo apertar do cinto para cumprimento do défice.

No campo internacional o ponto mais negativo foi, a meu ver, a guerra do Iraque, absolutamente injustificável pelos motivos que nos foram apresentados para a sua realização e motivadora da criação de um novo ponto de instabilidade e violência naquela zona já muito sencivel, como estamos a assistir todos os dias sem se ver quaisquer soluções quer de paz quer de reconstrução daquele país.

// posted by Carlos @ 11:44 PM


2003-12-24
Natal – o nascimento de Cristo

É um acontecimento histórico para nós ocidentais, digno de merecer ser apontado como a data unificadora de uma cultura e civilização.

Para os nossos filhos nesta sociedade consumista, a data voltou a ser refundada como a época do Pai Natal vestido de vermelho, onde as prendas passaram a ser a razão fundamental.

Mas o Natal é antes de mais um momento muito belo do nascimento da vida, só com ela é possível tudo, para nós cristãos associamo-lhe o nascimento de Cristo acrescentando-lhe uma razão e sentimo-nos bem connosco e com os outros, num momento muito forte de solidariedade e de desejo de paz

Boas festas é o meu sincero desejo a todos aqueles que visitarem este blog.

// posted by Carlos @ 12:50 PM


2003-12-21
A igreja e o HIV/SIDA

Acabei de ver na SIC Noticias um doc. sobre a Igreja Católica e o HIV com origem na BBC que me causou uma profunda revolta.

È realmente chocante ver-se as consequências de um conceito particular de fé que em vez de libertar os homens os leva à morte pela falta de realismo de vida e principalmente pela ausência de amor ao próximo.

Cristo nasceu, cresceu e foi um homem, andou pelo mundo como qualquer homem, terá feito o que todos homens fazem, pois caso contrário seria considerado um anormal e ninguém o ouviria, pregou o amor à vida e deu a vida por uma causa.

Pregar em Seu nome uma concepção de vida que esta a levar à morte milhões de pessoas contrariando o testemunho de vida Daquele, dizer-se verdadeiras asneiras cientificas como verdades comprovadas, como os preservativos são perigosos para a saúde e não previnem o HIV/SIDA como o que se fez no Quénia ou nas Filipinas e certamente em muitos outros locais onde o catolicismo é dominante, é hoje e será no futuro um crime contra a humanidade muito maior que toda a inquisição.

// posted by Carlos @ 10:13 PM

2003-12-18
Pensar no futuro

Hoje ao se perguntar a um jovem estudante do secundário o que pretende ser no futuro em geral a resposta é não sei, mesmo ao se insistir a duvida matem-se.

Se descermos na idade as respostas continuam a ser um vazio.

No meu tempo todos nos sonhávamos, mesmo em ser padeiros, donas de casa, policias ou bombeiros.

Tudo isto traduz a ansiedade que o futuro transmite às novas gerações e com ela a necessidade de não se estudar por não se ver qualquer perspectiva.

Hoje muitos professores e em todos os níveis de ensino encontram crianças e não são poucas que tomam uma posição de nada fazerem durante as aulas, são elementos mortos quer na descoberta e aquisição de novos conhecimentos, quer na comunicação, provocando nos professores um sentimento de frustração por se sentirem incapazes de alterarem a situação.

Atinge-se o cumulo de haver alunos que chegam ao 9 ano sem saberem ler e escrever.

Os nossos jovens tem de sonhar outra vez, tem de saber que a sua vida será feita de conquistas e de desaires, onde as emoções serão motivadas pelos sonhos de serem médicos, enfermeiras, cozinheiros ou professoras.

Mais que manuais de leitura muito pedagógica (?) os manuais de leitura e as actividades complementares tem que conduzirem de novo os jovens ao sonho, por que é o sonho que comanda a vida como dizia e muito bem o poeta.

// posted by Carlos @ 9:41 PM


2003-12-15
O aborto

Por motivo do julgamento de um grupo de mulheres que abortaram, voltou a discussão sobre este assunto.

Como nos outros momentos em que se discutiu o tema de novo a demagogia impera, com afirmações contraditórias dos partidos do Governo da Republica e um comunicado ainda pior da Conferencia Episcopal Portuguesa.

Esta conferencia ainda não percebeu que vivemos num estado laico, no século XXI, onde cada cidadão é responsável pelas suas atitudes apenas perante a comunidade e esta não poderá ficar refém de princípios dogmáticos de uma igreja ,seja ela qual for, contrários à liberdade hoje existente numa sociedade democrática e ocidental.

O aborto é uma decisão intima e muito sofrida quando tomada, não pode ser aceite a sua criminalização por motivos religiosos alheios ao nosso tempo e aos direitos da mulher.

Muito bem falou o Bispo do Porto, pena os outros não o terem ouvido, pois não se pede a liberalização do aborto, mas sim a sua descriminalização, o que é bem diferente, depois queixam-se dos templos estarem vazios.

// posted by Carlos @ 11:05 PM


2003-12-12
Novo Orçamento

Foi aprovado um novo orçamento para a Região, como em todos os anos a oposição critica por ele não dar resposta aquilo que pensa serem as necessidades da Região, o partido do governo aprova-o por considerar ser o possível para o desenvolvimento do seu programa e objectivos.

Os órgãos de comunicação que acompanham a discussão no parlamento transmitem que o orçamento foi aprovado apenas com os votos do partido do governo, como se fosse possivel outra votação..

Todos os anos este espectáculo se repete e todos os anos ouvimos e lemos o mesmo.

Estas discussões parlamentares são para o cidadão comum um assunto normal no seu dia a dia, a democracia politica é um dado adquirido, parece que sempre se viveu nela, difícil é o pensar-se voltar alguma vez ao sistema anterior.

// posted by Carlos @ 11:00 PM


2003-12-09
Uma boa e rápida solução

O caso de pedofilia que surgiu nos Açores, empolado apenas pelos órgãos de comunicação social continentais, pois ainda não passou de boatos, levou à demissão do Secretário Regional de Agricultura e Pescas, numa atitude digna de um governante que respeita o órgão que faz parte os seus eleitores e a população em geral.

O partido do governo rapidamente normalizou a situação com boas soluções e retomou a actividade política plena para desespero da oposição.

É um sinal de inteligência quando as instituições e seus responsáveis aprendem com os erro de outros.

// posted by Carlos @ 11:17 PM


2003-12-06
Novo caso de pedofilia

A problemática da pedofilia sempre existiu em todas as sociedades e em todos os tempos, pelo que não será de admirar o seu surgimento também entre nos.

Se há alguns anos ela era escondida e ou tolerada, estamos a passar por um tempo em que não é aceite sobre nenhum principio.

Mas como em todos os problemas sociais não podemos cair na tentação pendular dos extremos.

Vem isto a propósito do caso agora descoberto em São Miguel, onde para já tenho de registar, com muita satisfação, o modo correcto como até agora esta a decorrer as averiguações, como as afirmações serenas do responsável da PJ no arquipélago, pessoa muito ponderada e sensata, bem como o comportamento dos órgãos de comunicação social da Região, apenas com o negativo tentado da SIC e EXPRESSO de transformarem este caso num processo de Casa Pia nos Açores, sem qualquer resultado.

Espero que o cuidado e o segredo que tem existido na instrução do processo, que tem sido exemplar, continue até final, para o bom nome da Região e das instituições nacionais que o estão a conduzir.

// posted by Carlos @ 11:44 PM


2003-12-03
Deficientes - Ano Nacional

No nosso País como na Região, os deficientes encontram ainda um tratamento de menoridade, apesar de já haver vária legislação quer sobre as acessibilidades quer outras relacionas com a temática, elas não são cumpridas nem pelo estado.

No acesso a postos de trabalho também não é por falta de legislação e apoios, mas a realidade é que a admissão de qualquer deficiente a um posto de trabalho é muito difícil.

Torna-se necessário uma nova postura cultural da sociedade para problemática da deficiência, ela já se iniciou nas nossas escolas com a participação de crianças portadoras de deficiência nas aulas normais, com uma boa aceitação, como seria de esperar, pelos restantes alunos, mas é preciso continuar em todas as outras etapas da vida social.

Os dias ou anos nacionais ou mundiais servem para alertar para as realidades que teimosamente fazemos por esquecer, mas é mais difícil de aceitar que seja os governos que, neste caso especifico, criando o ano nacional da deficiência , muito pouco tenha feito em prol daqueles que por nascença ou acidentalmente ficaram deficientes e incapazes por si só de alterarem todo um conjunto vasto de barreiras criadas à sua normal circulação em segurança.

Os deficientes pedem pouco, apenas que alguém faça cumprir as leis em vigor.

// posted by Carlos @ 11:17 PM


2003-12-01
HIV/SIDA

Falar do HIV/SIDA deverá ser uma obrigação de todos aqueles que comunicam, porque poderá dizer-se no mundo dos blogs nos sabemos, somos conhecedores da problemática, mas o certo é que continuamos a ser o país da EU com uma maior percentagem de novos doentes 14 por dia, com 3 mortes diárias.

Como dizia Madela ontem, a sida passou a ser um problema relacionado com os direito humanos, pois existem muitos milhões de doentes na África, Ásia e América do Sul sem possibilidade de qualquer assistência médico ou medicamentosa, onde a única certeza é a morte.

Falar da doença é ter a consciência que apenas nos resta a prevenção e ao mesmo tempo a necessidade urgente de auxiliar hoje dezenas amanhã centenas de milhões de pessoas doentes, ou países ficarão sem a sua força de trabalho.

È necessário falar e falar sempre e muito deste assunto, basta a leitura do publico de hoje 01/12/2003 onde consta que um cada sete portugueses acredita que apertar a mão a um doente de SIDA ou a um seropositivo, bem como tocar nos objectos em que estes tocaram, pode constituir uma forma de contágio da doença, para testarmos os nossos medos e silêncios.

// posted by Carlos @ 10:03 PM


2003-11-28
Os casais açorianos

Em 1752 e por motivo de a população das ilhas estar a cima do suportado pela produção local, el-rei da altura organizou a ida de 60 casais em idade fértil e com filhos para o Brasil, foi a primeira emigração de açorianos ,lá tinham como função serem colocados em zona de fronteira de modo a impedirem com a sua presença, a ocupação de território por forças então adversas à coroa portuguesa.

Acolheu os 60 casais um território virgem que desbravaram e o puseram a produzir. A terra era produtiva e acolhedora e iniciaram uma colonização marcada por um tipo de civilização idêntico aos das Ilhas da sua origem. O local é o actual Estado do Rio Grande do Sul.

Hoje constata-se como foi bem sucedida a ida dos casais, 60% da população do Estado considera-se descendente daqueles açorianos, eles são reconhecidos como pioneiros e heróicos iniciadores do Estado, as Universidades do Rio Grande do Sul estudam as suas raízes culturais junto das Ilhas e a açoriana estuda as tradições que eles ainda e com orgulho conservam.

È necessário que este formidável exemplo de preservação da nossa cultura em terras de emigração, seja conhecido dos nossos jovens, agora que se prepara a introdução de currículos regionais.

// posted by Carlos @ 4:03 PM


2003-11-25
Violência domestica

Hoje é o seu dia e por tal motivo não podia deixar de manifestar a minha solidariedade perante as milhares de mulheres que quer na nossa Região quer no País são vítimas desta violência e reconhecer a luta heróica, e muitas vezes em desespero, desenvolvida por muitas mulheres e o trabalho de associações cívicas como a UMAR, entre outras, em prol desta causa.


Numa sociedade onde o homem era considerado como o senhor absoluto, a mulher era domestica e ou submissa, e tudo isto abençoado por uma religião onde aquela é a origem do mal e do pecado, não é de espantar a existência deste fenómeno.

Não é possível ficar indiferente quando ao nosso lado alguém sofre a violência do seu parceiro ou companheiro, em escalas por vezes não imaginadas e onde as crianças, se as há, são igualmente vitimas, quer por presenciarem e psicologicamente a sofrerem, quer por fisicamente serem também vitimas dela.


Quando nos preocupamos com as liberdades de outros e esquecemos a de nossos vizinhos ou as de nossa própria casa, estamos a contribuir para que no mundo continue a não ser aplicado ainda a Declaração Universal dos Direitos do Homem, hoje universalmente aceite.

// posted by Carlos @ 11:06 PM


2003-11-23
Açores, Madeira e Canárias

Os três arquipélagos estão através do interreg III ligados, pela primeira vez, em diversos projectos de investimento, trata-se de um programa comunitário onde a parceria é indispensável, o que tem levado à consciencialização que só unidos se alcançará o financiamento e com ele o desenvolvimento, dado que os três apresentam os mesmos condicionalismos geográficos.

O espirito de parceria, criado quer com instituições publicas, quer com empresários dos três arquipélagos, poderão trazer num futuro, ao turismo açoriano vivendo uma fase de afirmação, às exportações tradicionais dos Açores procurando novos mercados e aos serviços em modernização, um conjunto de mais valias e com elas um desenvolvimento apreciável à Região Autónoma, saibamos aproveitar todas as virtualidades deste programa da EU.

// posted by Carlos @ 11:20 PM


2003-11-20
Ainda o terrorismo

Estes últimos dias tem sido férteis em atentados terroristas, sendo a Turquia a grande vitima.

A condenação a estes actos tem de ser viva e contundente, não é admissível à luz de qualquer razão ou fé, meios tão violentos para se alcançar qualquer objectivo, com aqueles perde-se a razão e com eles qualquer justificação deixa de ser aceite.

Mas para alem duma condenação firme é necessário compreender-se as causas sociais, políticas e religiosas que conduzem a motivações tão fortes, que levam pessoas a matarem-se, causando a morte, a dor e o sofrimento a muitas outras inocentes?

Nesta luta só com conhecimento daquelas ser-se-á capaz de eliminar as que conduzem ao terrorismo e então poder-se-á criar pontes para a convivência e através destas construir a paz.

O vencedor não será aquele que decreta a guerra como a que conhecemos, mas sim aquele que agir com firmeza, ponderação, paciência e muita inteligência.

A minha solidariedade e respeito por todas as vitimas inocentes de mais esta nova barbárie em inicio de século e milénio.

// posted by Carlos @ 11:38 PM


2003-11-17
Convivência precisa-se

“Eu tenho um lado, mas ninguém me ouvirá dizer que este é o lado de Deus, como na canção de Bob Dylan. Mas ouvir-me-ão dizer que este é um lado dos homens, do modo de vida que escolhi (escolhemos), de uma precária mas identificada civilização (a palavra é adequada) que já mostrou o que vale e que não vive do terror, nem da violência, mas da procura da conciliação de interesses e modos de vida. Nenhuma outra civilização me dá as liberdades e a possibilidade de felicidade que esta me dá, a mim e, potencialmente, a todos os homens. Não estou certo de tudo, mas das duas frases anteriores estou inteiramente convicto.”
In abrupto .

Compreendo as palavras de José Pacheco Pereira acima transcritas, porque também vivo e cresci nesta sociedade e civilização que teve como base os princípios judiaco-cristãos que constituem a nosso matriz, mas partindo dela terei o direito de a impor a outros povos? Os meus conceitos morais e religiosos serão superiores a diferentes? Os meus princípios de felicidade serão os melhores? Os fundamentos políticos da civilização onde vivo serão obrigatoriamente universais porque são os meus e como tal únicos? Terei o direito de impor pelas armas, se preciso for, o meu modos de vida?

Se a estas interrogações que hoje estão presentes em muitas sociedades, acrescentarmos o poder universal da opinião publica, a mediatização dos acontecimentos em simultâneo para todo o mundo, e a fragilidade do poder político democrático do ocidente, marcado temporalmente por eleições e com lideranças políticas fracas, compreender-se-á que a guerra como a conhecemos está votada ao insucesso por não ser possível impor princípios civilizacionais a outra civilização de biliões de indivíduos sem serem geradores de uma onda de violência ou mesmo terrorismo.

O mundo hoje é muito pequeno por tal motivo estamos condenados a conviver no respeito da diferença, temos todos urgentemente de aprender como o fazer.

// posted by Carlos @ 11:16 PM


2003-11-15
Finalmente a verdade

Cantou-se como um grande feito para a civilização e para a democracia a invasão do Iraque. Destituída a estatua da Saddan o Presidente americano solenemente anunciou, num porta aviões fardado e perante as suas forças, o fim da guerra.

Aqueles que diziam não aceitarem ou concordarem com as teses neo-conservadoras vindas da América eram apontados a dedo, o jornalista Carlos Fino até foi acusado de pró-Saddan e de estar a minar, o com o seu trabalho jornalístico, a coligação aliada, tudo era como num filme, fácil, rápido e com a vitória esmagadora do bem no seu final.

Agora começa-se a ver que a verdade estava nas reportagens de Carlos Fino, a segurança continua a não existir em nenhum lugar no Iraque, as forças militares intervenientes não estavam preparadas para o depois da invasão e há soldados da coligação a morrerem todos os dias, passados que foram meses do seu inicio e do anuncio do seu final.

Esperam os nossos GNR tempos difíceis, como em todas as guerras sabe-se sempre como começam mas nunca como ou quando acabam e como em todas as guerras sem uma justa causa é difícil exigir-se sacrifícios incluindo a vida, mas estou certo que os nossos jovens darão o seu melhor no cumprimento da missão que lhes foi destinada e honrarão o nome de Portugal na defesa das populações iraquianas única razão aceitavel para a sua permanência naquele pais distante.

// posted by Carlos @ 11:26 PM


2003-11-13
O embarque

No dia em que faz 35 anos do meu embarque para Angola, de novo um contigente embarca agora para o Iraque.

Se no meu nos diziam que Angola era nossa, no segundo pouco nos poderão dizer que justifique o envio de portugueses para um palco de uma guerra de ocupação feita partindo de pressupostos falsos.

Mas se a razão política foi débil, não o deve ser o nosso apoio aos jovens que partiram, eles são voluntários e por isso merecem o nosso carinho e o esforço na Nação para que lhes seja oferecido todos os meios necessários ao cumprimento da sua missão como o reconhecimento publico pelo seu gesto de disponibilidade ao serviço de Portugal.

Tal como há 35 anos é imprescindível sentir-se o apoio dos familiares e dos portugueses para o nosso sacrifício não ser em vão.

Espero sinceramente que cumprida a missão todos regressem.

// posted by Carlos @ 11:23 PM


2003-11-11
São Martinho

Apesar dos Açores não serem uma região produtora de vinhos importante, celebra-se desde há muitos anos a festa deste santo típico das adegas por razões populares.

Há jantares com amigos em praticamente todas as ilhas com o pretexto de se provar o novo vinho, quase sempre do continente português e do ano anterior, mas o importante é a confraternização e a festa.

Se há anos este encontro era apenas de homens, hoje as mulheres participam em pé de igualdade nos jantares de São Martinho, mostrando como esta sociedade tem caminhado no sentido da igualdade entre os seus elementos.

// posted by Carlos @ 10:52 PM



2003-11-09
60 anos de presença

Encontra-se nos Açores uma delegação do Senado dos Estados Unidos em conjunto com uma representação da Assembleia da Republica e a participação das autoridades regionais para as comemorações dos 60 anos da presença dos Estados Unidos na Região Autónoma dos Açores.

Em todo este tempo a convivência entre a comunidade militar dos EUA e os Açorianos é pacifica e de total colaboração, em parte pelo grande numero de emigrantes açorianos existentes em terras americanas e ao espirito tolerante dos açorianos.

Hoje as compra-partidas para a Região Autónoma por aquela presença não tem grande expressão na economia açoriana, mas representam para o todo nacional o principal factor de afirmação atlântica quer na NATO quer no relacionamento com os EUA e um dos principais pilares de rearmamento das forças armadas portuguesas.

Estrategicamente os Açores continuam a ser pedra fundamental na Defesa Nacional portuguesa, mas continuam também a ser uma das Regiões portuguesa economicamente mais débeis.

// posted by Carlos @ 11:01 PM


2003-11-06
As denuncias anónimas

Eram normais durante os séculos da inquisição, todos podiam cair no Santo Oficio apenas pela prática cobarde de se acusar alguém sem provas e sem dar a cara.

Este estado de espirito está de volta em força na nossa sociedade, por despeito, por não se conseguir o que se quer, algumas vezes até por razões políticas lá surge a carta anónima com denuncias da mais variada ordem e sem assinatura no fim.

É actualmente corrente ouvir-se nos telejornais, ou ler-se nos jornais inquéritos levados a efeito pela policia judiciária ás mais variadas pessoas e instituições cuja origem foi uma denuncia anónima.

Há dias uma magistrada num programa televisivo era apologista do estado premiar a denuncia anónima de um determinado crime económico.

Como defensor da liberdade e de um Estado democrático não posso aceitar nunca este procedimento, como algo a ser premiado ou como elemento iniciador de um processo judiciário sem a existência de outros indícios a serem apensos, está em jogo a liberdade individual e em muitos casos o bom nome de uma pessoa ou Instituição.

Tal como na inquisição premeia-se a cobardia, a falta de coragem e a destruição da confiança entre cidadãos com nascimento do medo nas relações sociais e a respectiva criação de um Estado fraco.

O que temos de incentivar e premiar é a coragem de se assumir uma denuncia, de se ser testemunha num processo judiciário, de se enfrentar uma situação laboral, social ou familiar com frontalidade, criando-se cidadãos responsáveis perante os seus concidadãos e o Estado. Esta educação cívica é um dever de todos, todos os dias.

Só assim criaremos um Estado forte capaz de enfrentar todos os perigos como vencedor.

// posted by Carlos @ 11:26 PM


2003-11-04
Prós e Contras

Um painel de luxo da nossa intelectualidade discutiu o referendo à Constituição Europeia na RTP. Para os telespectadores depois de concluído o debate as duvidas passaram a ser mais do que as existentes no inicio.

Se para os especialistas foi muito difícil transmitir e esclarecer partes do conteúdo da Constituição Europeia o que dizer da população se chamada a exercer o seu direito de votar em consciência.

No meu entendimento o Referendo à Constituição Europeia acabará por se manifestar em três níveis:

Na elite política falar-se-á do articulado político-jurídico.

Para a maioria será a discussão dos subsídios

Para uma minoria a tentação de capitalizar politicamente a não presença de Portugal na União Europeia.

Mesmo com estes riscos aceito o referendo se a pergunta for clara, simples e objectiva e não ponha em duvida a nossa presença na União.

// posted by Carlos @ 10:47 PM


2003-11-01
O cruzamento das tradições

As nossas crianças tiveram dois dias de festa seguidos, um foi o Halloween o outro o Pão por Deus.

Dois mundos e duas concepções tradicionais muito diferentes:
O Halloween é uma manifestação importada que só agora chegou mas que para as crianças traz a fantasia e o mundo da magia, trata-se para nos de uma manifestação puramente lúdica.

A segunda é uma tradição do dia 1 de Novembro, ainda existente nos Açores, onde as crianças vão de casa em casa pedindo o Pão por Deus que nos dias de hoje se resume a bombons e chocolates. É uma tradição religiosa que vem do tempo do povoamento.

Com a abertura comercial e cultural actualmente existente, com o desaparecimento das nossas fronteiras seculares será interessante ver se alguma destas duas tradições vingará no futuro sobre a outra e se formos capazes, tal como neste ano, de festejarmos os dois momentos separadamente e com as suas características próprias, então estamos no bom caminho para enfrentarmos o futuro.

// posted by Carlos @ 12:57 AM



publicado por Soares Carepa às 15:27
link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De Vinícius a 13 de Junho de 2007 às 23:39
Sou de Porto Alegre, estado do Rio Grande do Sul, descendente de casais açorianos. Gostei muito da citação da colonização açoriano em meu Estado.
Parabéns pelo blog!


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
16
17
18

20
21
22
24
25

26
28
29
30


posts recentes

Despedida

Feliz 2011

Boas Festas

Estudo sobre barcos

Novos barcos

Hotéis e companhia

Orçamento Regional

Guerra na saúde regional

FMI

Orçamento 2011 da RA

Nato

SOS Cagarro

Atlanticoline 2010

Homens/mulheres

Açores na ONU

O acordo

Novo paradigma

AFH

SOS Cagarro 2010

O salvamento no Chile

arquivos

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

tags

todas as tags

links
O meu Email
  • MartinsSoares
  • blogs SAPO
    subscrever feeds